quinta-feira, 6 de maio de 2010

Aeromovel - Estação Aeroporto até o Novo Terminal

SkyScraperLife - Porto Alegre (RS) / Aeromóvel / Estação Aeroporto ao Novo Terminal



Apresentação

O projeto de implantação do Sistema APM Aeromóvel, para conexão da Estação Aeroporto da TRENSURB ao Terminal Novo do Aeroporto Internacional Salgado Filho, tem por finalidade aumentar a capilaridade do sistema metroviário da Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), e como conseqüência, elevar a taxa de ocupação dos carros do metrô utilizando uma tecnologia nacional inovadora.

Além de unir operacionalmente uma estação do metrô a um núcleo atrativo de demanda (terminal aeroportuário), servirá como projeto-piloto, que poderá vir a ser implementando junto a outros sistemas metroviários do País com a finalidade de incrementar a mobilidade urbana e de incentivar a redução do uso de veículos automotores. Para tanto, a Trensurb e a Aeromovel Brasil S.A. firmaram Protocolo de Intenções, em abril de 2007, visando elaborar trabalhos de pesquisa e desenvolvimento do Sistema Aeromóvel, com a participação de técnicos da Trensurb, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e com o apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Ministério da Ciência e Tecnologia do Governo Federal.

O Sistema APM ("Automated People Mover")

Os Automated People Movers são o conjunto de tecnologias de transporte que operam sob as seguintes características gerais:
veículos relativamente leves de pequena à média capacidade;
operação 100% automatizada (sem condutores a bordo) trafegando em vias exclusivas;
alta freqüência de serviço (pequenos headways) atendendo a demandas muito especiais, com o propósito final de realizar ligações dedicadas, de forma célere, do tipo "origem-destino" entre pontos de interesse comum, dentro e/ou fora das fronteiras de um sítio específico.

Os Sistemas APM são, em sua imensa maioria, operados em via elevada de forma a criar um novo espaço urbano de circulação, acima dos obstáculos encontrados no nível do solo e sem a necessidade de onerosas intervenções e desapropriações. Aplicações típicas se dão em: terminais aeroportuários, centros comerciais, ligação a grandes estacionamentos periféricos, complexos turísticos, parques ecológicos, campus universitários, hospitais, dependências de grandes corporações, alimentação de sistemas troncais de transporte (metrô, trem e corredores de ônibus), densos centros urbanos, dentre outras.

Sistema APM de Tecnologia Nacional



No Brasil, há uma tecnologia nacional inédita de people movers, patenteada e reconhecida em diversos países do mundo: Estados Unidos, Japão, Reino Unido, Alemanha, França, dentre outros. Na capital da Indonésia, Jacarta, opera com sucesso uma linha comercial dessa tecnologia há mais de uma década.

O Aeromóvel é um meio de transporte automatizado em via elevada de concepção inteiramente nacional, que se baseia no princípio da redução do peso-morto por passageiro transportado, através do emprego de veículos leves, sem motores embarcados, resultando em estruturas de sustentação muito esbeltas. Sua propulsão é pneumática, com empuxo fornecido por gradientes de pressão que se estabelecem no interior de um duto, localizado no interior da via elevada, logo abaixo do veículo e que propelem o mesmo através do empuxo de ar fornecido a uma aleta (tal qual uma "vela" de um veleiro) fixada por uma haste ao veículo, que se movimenta sob rodas de aço em trilhos tradicionais. O ar é insuflado pela ação de ventiladores centrífugos industriais de alta eficiência energética, dispostos em casas de máquinas acusticamente isoladas em pontos estratégicos no solo.

Princípio de deslocamento do Aeromóvel

Podem se relacionar, adicionalmente, as seguintes características favoráveis que integram a tecnologia Aeromóvel:

Baixo custo operacional: o sistema de propulsão é acionado por motores elétricos estacionários de baixo consumo energético (cerca de 80 kWh/h), que possuem acesso facilitado para execução de eventuais revisões, quando necessárias.

Cadeia produtiva 100% nacional: toda cadeia produtiva do Aeromovel é nacional: engenharia de transporte, construção civil, veículo (caixa, chassi, suspensão etc), propulsão (motores, ventiladores, válvulas etc) e automação (em projeto conjunto com renomadas universidades).

Segurança: o Aeromóvel tem no princípio de funcionamento o seu maior intrínseco seguro: a impossibilidade de dois veículos trafegarem no mesmo trecho, ou ainda, a impossibilidade de dois veículos colidirem devido à massa de ar existente entre eles que bloqueia a passagem.
Tecnologia "limpa": o uso de motores elétricos elimina qualquer emissão de poluentes gasosos, atendendo às legislações ambientais vigentes e gerando uma melhora na qualidade de vida em grandes centros urbanos. Operação silenciosa pela ausência de motores nos veículos.

Períodos de construção reduzidos: como o Aeromóvel utiliza-se de vigas pré-fabricadas modulares de relativo baixo peso, a sua montagem final é facilitada, sendo rápida e dispensando grandes aparatos de maquinário, reduzindo o impacto das obras de implantação na comunidade.
Falha segura: a concepção pneumática do Aeromóvel lhe confere a possibilidade de continuar operando mesmo com a eventual falha de algum módulo da propulsão em um determinado trecho, já que outro módulo suplementar poderá cumprir esta função emergencialmente, até que os reparos sejam efetuados. O ventilador além de elemento propulsor, conquanto um volante inercial (massa girante), também acumula energia, sendo um "capacitor" para o sistema, permitindo o Aeromóvel operar até uma posição segura, quando abruptamente desenergizado.

Possibilidade de expansão: em um eventual aumento da extensão da linha para atender um perímetro maior, o Aeromóvel apresenta a possibilidade de continuar operando mesmo durante as obras de expansão (devido ao seu fundamento "modular") mediante isolamento de trecho, facilidade de montagem e grande versatilidade.

Sistemas de controle: o Aeromóvel, conquanto um sistema que emprega veículos passivos, apresenta algumas vantagens sobre sistemas "autopropelidos", não apenas pelo seu baixo peso, mas especialmente por necessitarem de meios de controle relativamente mais simples, uma vez que a velocidade do veículo e sua capacidade ocupada são derivadas a partir dos parâmetros do próprio grupo propulsor ao qual ele está atrelado, conseqüentemente, o controle e a segurança são mais facilmente assegurados.
Capacidade de traslado: o princípio "modular" da via elevada e dos componentes da propulsão permitem ao sistema proposto fácil desmontagem para ser transladado para outro local, quando necessário. Muitas vezes, sistemas APM são encomendados para operarem por prazos específicos para atender demandas sazonais e a possibilidade de serem reaproveitados a posteriori para outra aplicação é um atrativo interessante.

O Projeto Aeroporto Salgado Filho



O APM no Aeroporto Salgado Filho compreenderá duas estações de embarque, distantes entre si cerca de um quilômetro e interligadas por uma via elevada esbelta. Será dotado de dois veículos de capacidade para aproximadamente 200 passageiros cada, com espaço especial para acomodação de bagagens e provisões de acessibilidade. O APM será projetado para cumprir todo percurso em um intervalo de tempo da ordem de um minuto, utilizando, para isto, subsistema de propulsão acionado eletricamente, disposto em duas casas de máquinas ao nível do solo, contando com uma redundância acionada por motor de combustão interna a gás natural, aumentando a disponibilidade do sistema e capacitando-o para 24 horas de operação ininterrupta. A propulsão deverá ser capaz de levar o veículo a uma velocidade de até 60 km/h, com uma taxa de aceleração máxima de 1,1 m/s2.

A TRENSURB será responsável pela operação e manutenção do APM, sendo as funções de treinamento de pessoal de responsabilidade da empresa fornecedora do equipamento.

A implantação do APM no sítio do Aeroporto Salgado Filho para ligar à estação do metrô deverá ser integralmente concretizada com uma cadeia produtiva 100% nacional, preferencialmente com a formação de um capacitado Arranjo Produtivo Local (APL).

Convém citar, ainda, que há outros planos para a região vizinha ao Aeroporto, envolvendo a provável construção de um estádio no formato de "Arena" para sediar a Copa do Mundo de 2014, junto a um shopping center, que terá um estacionamento subterrâneo e capacidade máxima para 45 mil espectadores. Além de três prédios: um onde será construído um hotel de grande porte, um para centro de convenções e outro comercial. Este seria um motivo a mais para a implantação do Aeromóvel nesta área da cidade.

Oferta e Demanda

Com intuito de quantificar a demanda de público para o Aeroporto Internacional Salgado Filho e avaliar a capacidade de atendê-la pelo Aeromóvel, uma análise do Lastran/UFRGS conjectura que, para 2011, havendo uma ligação efetiva do metrô ao Aeroporto, a demanda diária média estaria em 7.756 usuários do sistema, relativos à população do Aeroporto, dentro de um universo total de 27.961 pessoas; ou seja, quase 30% de todos que circulam pela região deverão optar pelo modal metroviário, contra aproximadamente 12%, caso não existisse tal ligação.

Se a "Linha 2" do metrô estiver já operacional (projeto de extensão da via permanente atualmente existente para atender no subterrâneo vários bairros radiais de Porto Alegre), esta demanda poderia atingir a média 9.895 passageiros/dia e, no pico, 11.635 passageiros/dia. Para efeito de comparação meramente por ordem de grandeza, em 2005, a média registrada de passageiros transportados por toda a estrutura do metrô, em dias úteis, foi de 155.064, o que representa um índice de ocupação dos carros de 21%.

Este aumento no uso do metrô beneficia todo o conjunto, pois permite à Trensurb elevar o seu índice de ocupação, melhorando a receita, reduzindo o consumo de energia específica e computando mais pontos nas deseconomias, no que concerne aos aspectos ambientais (mais pessoas deixando de fazer uso de modais ambientalmente agressivos).

Por fim, há de se reconhecer as limitações do estudo empreendido pela UFRGS, quer seja pela sua defasagem temporal (seis anos), quer pelo escopo limitado. Não se considerou, por exemplo, o potencial do sistema em termos de atratividade turística, tampouco o efeito de "massa-crítica" e de "reação em cadeia", deflagrado por um sistema com tal grau de inovação, cujos resultados, sem dúvida, devem ser muito maiores que a mera soma linear de suas partes. Sabendo disso é que se prevê a realização de um estudo preliminar de Engenharia de Transportes, quando da aprovação do projeto, para fazer um levantamento completo do quadro de mobilidade para a região.

Prazos e Custos de Implantação

A estimativa de prazo para implantação do APM no Aeroporto Salgado Filho é de 12 meses a um custo de aproximadamente R$ 23 milhões, consideradas as características técnicas e de obras civis citadas abaixo.

Novos ventos sopram o aeromóvel

Zero Hora
07 de junho de 2009 | N° 15993



Trensurb e PUCRS têm projetos para revigorar o trem impulsionado pelo ar, concebido nos anos 1970

O aeromóvel parece, enfim, ter encontrado uma vocação. Vinte e seis anos depois de deslizar macio pela primeira vez em Porto Alegre, na pista experimental da Avenida Loureiro da Silva, a invenção do engenheiro Oskar Coester deve estrear remodelado em dois novos pontos da cidade: no trecho entre o Aeroporto Salgado Filho e a linha do Trensurb e no campus da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

As experiências devem servir para o lançamento comercial do trem movido a ar, agora ligando trechos curtos, deixando para trás a pretensão de substituir o transporte de massas, como ônibus e metrô. Apesar de ainda não confirmados, os dois projetos estão adiantados. O mais próximo da realidade é a linha do Trensurb, que depende de sua inclusão no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal como parte da melhoria de acesso dos aeroportos ao transporte coletivo, medida considerada fundamental para preparar as cidades que receberão a Copa do Mundo de 2014, como Porto Alegre. O estudo de viabilidade urbanística, primeiro passo para aprovação da obra, será apresentado nesta semana.

Segundo Humberto Kasper, superintendente de Desenvolvimento e Expansão do Trensurb, a obra está orçada em R$ 30 milhões, cerca de um quarto do valor de outras soluções oferecidas por fabricantes internacionais. A linha terá cerca de 820 metros e levará até 300 passageiros em um único vagão.

– Dependemos só da liberação dos recursos para começar a obra. Do ponto de vista técnico, está tudo pronto – garante Kasper.

A linha pode ficar pronta em um ano, mas, mesmo que o dinheiro não venha, os entusiastas do projeto comemoram uma nova fase do aeromóvel. A pretensão inicial de Coester, na década de 1970, quando teve a ideia durante congestionamentos na BR-116, era criar um veículo leve, com custo energético menor do que os automóveis, por exemplo, nos quais a relação entre o peso do carro e o do passageiro é de 10 para 1. Coester imaginou um barco à vela ao contrário, com a vela embaixo, empurrada por um túnel de vento e deslizando em trilhos de baixo atrito.

– É um charutinho de alumínio. Tu dá uma soprada e ele vai embora – descreve.

Nunca ficou claro porque o transporte, tido como revolucionário por alguns, não vingou. O jogo, porém, começou a ser virado em 2004, quando o Ministério de Ciência e Tecnologia emitiu parecer recomendando o fomento ao aeromóvel. Em 2007, foi criado o Projeto Aeromóvel entre a PUCRS, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a Aeromóvel Brasil SA, empresa de Coester. Cerca de 150 pesquisadores encontraram novas soluções para tentar colocar o sonho de Coester em prática dentro de dois anos. As pesquisas levaram a inovações que só serão reveladas em agosto, quando o projeto será concluído, após o registro das patentes. Será que, desta vez, o aeromóvel vai?

– Acho que ele nunca parou – sorri Coester.

Trensurb apresenta projeto do aeromóvel para vice-prefeito

Blog Porto Imagem
04/04/2009



Reunião teve como objetivo pedir a colaboração das secretarias envolvidas e da prefeitura da Capital na realização das obras para o aeromóvel.

O superintendente de Desenvolvimento e Expansão da Trensurb, Humberto Kasper, reuniu-se com o vice-prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, com o secretário de Planejamento Municipal, Márcio Bins Ely, e com representantes das secretarias de Meio Ambiente (SMAM), Obras e Viação (SMOV) e da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), nesta quinta-feira, 2, na prefeitura da Capital.

Acompanhado de Sidemar da Silva e Euclides Coimbra Reis, da Gerência de Mobilidade (GEMOB), e Erno Zimpel, da Gerência de Projetos (GEPRO) da Trensurb, Kasper apresentou o projeto do aeromóvel que ligará a Estação Aeroporto da Trensurb ao Aeroporto Internacional Salgado Filho. Marcus Coester, Maurício Graeff e Diego Abs, representando a Aeromóvel Brasil S/A (ABSA), empresa parceira da Trensurb na obra, explicaram que o trajeto do aeromóvel terá 815 metros, por onde circularão dois veículos, um com capacidade para 150 e outro com capacidade para 300 passageiros, em via única, com tempo de 40 segundos.

O embarque e desembarque ocorrerá dentro da área paga da Estação Aeroporto, o que possibilitará que o usuário pague somente uma passagem para utilizar os dois transportes, trem e aeromóvel. Kasper salientou o aeromóvel “faz parte do conjunto de projetos enviados à comissão do Ministério do Esporte para a Copa do Mundo de 2014, que tem o objetivo de qualificar as cidades sedes do campeonato”. Por isso, a Trensurb aguarda a divulgação das cidades que sediarão a Copa para receber a verba do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal, reservada para a infraestrutura dessas cidades.

A meta da empresa é de que o aeromóvel esteja concluido em março de 2010. “Engenharia é um assunto esgotado, pois é possível construir essa obra em um ano, agora é necessário buscar recursos, e é isso que aguardamos para assinar o contrato de início das obras”, disse Kasper. Fortunati prometeu mobilizar as secretarias necessárias para agilizar a obra. “Todas as secretarias estão envolvidas de certa forma neste projeto; é preciso que Porto Alegre tenha serenidade para que isso aconteça. É um projeto que interessa a Porto Alegre, e interessa, também, que ele seja concluído rápido”. disse.

Projeto do aeromóvel avança na prefeitura

Zero Hora
29 de julho de 2009 | N° 16046



O Estudo de Viabilidade Urbanística (EVU) do aeromóvel foi aprovado ontem pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano Ambiental (CMDUA) por 22 votos a favor e uma abstenção.

Considerado pela prefeitura de Porto Alegre um dos projetos importantes para a Copa de 2014, o aeromóvel ligará o Aeroporto Internacional Salgado Filho à Estação Aeroporto do trensurb em menos de um minuto. A linha, com 854 metros de extensão, terá dois veículos, um com capacidade para 150 passageiros e outro para 300.

O sistema será totalmente automático, sem necessidade de condutor. Os carros vão facilitar o acesso a cadeirantes, idosos e portadores de deficiência visual. Também está previsto espaço para o transporte de bagagens e malas de viagem. Quem usar o aeromóvel, só pagará o valor da passagem que dá acesso ao embarque no trem.

Segundo a Trensurb, responsável pela obra, os trabalhos vão se iniciar neste ano, e o aeromóvel começará a funcionar em 2010. O custo está orçado em R$ 30 milhões de reais que serão investidos pelo governo federal.

Mais um passo para o Aeromóvel

Zero Hora
16 de julho de 2009 | N° 16032



A Comissão de Análise Urbanística e Gerenciamento (CAUGE) da Secretaria do Planejamento Municipal da Capital aprovou ontem o Estudo de Viabilidade Urbanística do aeromóvel, que ligará o aeroporto Salgado Filho ao Trensurb. Agora, falta ainda a autorização da Infraero. O aeromóvel é considerado um dos projetos prioritários para a Copa de 2014.

Trensurb apresenta projeto do aeromóvel

Jornal do Comércio RS
16/6/2009



O Estudo de Viabilidade Urbanística (EVU) do projeto do aeromóvel que ligará a estação Aeroporto da Trensurb ao terminal do Aeroporto Internacional Salgado Filho foi apresentado ontem à prefeitura de Porto Alegre. A proposta foi entregue pelo diretor-presidente da Trensurb, Marco Arildo Cunha, ao secretário extraordinário da Copa de 2014, José Fortunati.

De acordo Fortunati, o projeto possibilitará a conexão direta do trem com o aeroporto, facilitando o acesso dos passageiros na zona Norte da Capital. "A nossa previsão é de que a obra possa estar concluída antes de 2014", comenta.

De acordo com Cunha, os trabalhos terão início a partir do anúncio dos recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade pelo governo federal, o que deverá ocorrer em um prazo de 30 dias. A previsão dos técnicos da Trensurb é de que a construção comece no mês de agosto. A conclusão está prevista para ocorrer em um ano.

A linha de 854 metros será toda aérea e dois veículos farão o transporte dos passageiros. O primeiro carro transportará 150 pessoas, e o segundo, 300. O tempo de percurso será de um minuto. Segundo estudos da Trensurb, pelo menos sete mil passageiros/dia utilizarão o veículo interligado ao trem, podendo chegar a 11 mil pessoas. O custo da obra está avaliado em R$ 30 milhões. "A implantação do aeromóvel é um sonho antigo de todo o porto-alegrense", acrescenta Fortunati.

Com a entrega do EVU à prefeitura, o projeto será avaliado pelas secretarias municipais de Obras e Viação (Smov), do Meio Ambiente (Smam), do Planejamento (SPM) e pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). As conclusões deverão ser divulgadas em um prazo de 30 a 60 dias. Segundo o diretor-presidente da Trensurb, juntamente com o metrô de Porto Alegre - Linha da Copa, o projeto faz parte do conjunto de obras que devem ser concluídas pela empresa para a Copa do Mundo de 2014.

Aeromóvel mais perto

Zero Hora
28 de agosto de 2009 | N° 16077





O Estudo de Viabilidade Urbanística (EVU) do aeromóvel foi entregue à Trensurb no dia 21 de agosto. Considerado pela prefeitura um projeto importante para a Copa de 2014, o aeromóvel fará o trajeto entre o Aeroporto Internacional Salgado Filho e a Estação Aeroporto do Trensurb em menos de um minuto.

Com 854 metros de extensão, a linha terá dois veículos, um com capacidade para 150 passageiros e outro, para 300. O sistema não precisará de condutor. Segundo a Trensurb, a obra deve ser iniciada até o final deste ano. O custo está orçado em R$ 30 milhões, verba que virá do governo federal.

Plano para Copa inclui aeromóvel

Zero Hora
22 de maio de 2008 | N° 15609



Entre propostas do Ministério do Turismo está a implantação do veículo movido a ar, que faria a ligação entre o terminal Salgado Filho e a estação Aeroporto do trensurb, na Zona NorteEstá na Copa do Mundo de 2014 a chance da Capital ver reeditada uma alternativa de transporte conhecida há 25 anos.

Se aprovado o projeto do Ministério do Turismo anunciado nesta semana, uma linha do aeromóvel poderá ser construída entre a Estação Aeroporto do trensurb e o Salgado Filho.

Por meio de sua assessoria de comunicação, o Ministério do Turismo reforçou ontem que o projeto está em um pacote de sugestões levadas à presidência da República para integrar o chamado Plano de Mobilidade Urbana a ser implantado até a Copa do Mundo em diferentes cidades. Para a Capital, o montante sugerido chega a R$ 1,2 bilhão.

Há mais de um ano, técnicos da Trensurb, em parceria com Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), estudam a possibilidade de implantação do aeromóvel. Juntas, as universidades também estão desenvolvendo um sistema semelhante para ligar o campus da PUCRS ao seu complexo esportivo e ao Hospital São Lucas, passando sobre a Avenida Ipiranga.

Um esboço da obra na zona norte da Capital está em execução, e há recursos para licitar o projeto de engenharia, segundo a Trensurb. Mas para sair do papel, somente com mais verba garantida, um total de R$ 23,5 milhões. Isso ainda não é uma realidade.

- Trata-se de um projeto-piloto, uma linha de pouco mais de um quilômetro que chamamos tecnicamente de sistema alimentador, uma ligação entre a estação com o terminal de embarque do aeroporto - diz Humberto Kasper, superintendente de Desenvolvimento e Expansão da Trensurb.

Seria, revela Kasper, um trilho único e elevado, como o que existe desde 1983 na Avenida Loureiro da Silva, próximo à Usina do Gasômetro, com 1,2 mil metros de extensão. O custo da obra instalada no Centro foi de R$ 6,5 milhões, com financiamento federal.

Pelo projeto, uma única composição do veículo faria as viagens entre o aeroporto e a estação, passando por cima da BR-116. O traçado preciso ainda não está definido, mas haveria uma leve curva entre os dois pontos.

Inventado pelo ex-funcionário da Varig Oskar Coester, o aeromóvel utiliza tecnologia brasileira.

O baixo nível de ruído também é característico do veículo. O primeiro modelo comercial foi implantado em 1989, na Indonésia.

AEROMÓVEL NO AEROPORTO INAUGURA EM MARÇO / 2010



O aeromóvel, cujo estudo de Viabilidade Urbanística, ligando a Estação Aeroporto do metrô ao aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre, foi entregue ao secretário José Fortunatti, custará apenas um quarto de projetos similares usados em outros aeroportos, segundo o superintendente Humberto Kasper da Trensurb.
O aeromóvel terá 854 metros de extensão, percorridos em 70 segundos. Para atender aos usuários, contará com dois carros, um para 150 e outro para 300 passageiros, utilizados conforme a demanda.
A linha terá dois terminais, um na área paga da Estação Aeroporto e outro junto à passarela de acesso ao edifício garagem do Aeroporto Internacional Salgado Filho. A transferência entre linhas será feita sem ônus aos passageiros.
O passageiro que desembarcar no Aeroporto Salgado Filho pagará o valor unitário da passagem para utilizar o aeromóvel até a Estação Aeroporto, e ali será possível embarcar no trem sem adquirir outro bilhete. Da mesma forma, o passageiro que desembarcar na Estação Aeroporto e desejar ir ao Aeroporto Salgado Filho, pagará só uma passagem. O sistema será totalmente automático, sem necessidade de condutor. Além disso, o layout dos carros será feito para atender às normas de acessibilidade universal, facilitando o acesso a cadeirantes, idosos e portadores de deficiência visual. Também está previsto espaço para o transporte de bagagens e malas de viagem.
As obras iniciam em agosto deste ano, e a previsão é que esteja operando em março de 2010. O valor da obra está orçado em R$ 29,884 milhões.
Estudo foi entregue ontem à Prefeitura
Estudo de transporte, que fará a ligação entre a Estação Aeroporto e o Salgado Filho, foi entregue ontem à prefeitura
Depende da prefeitura o avanço de uma obra que aproximará a atual Capital daquela que deverá existir em 2014. Secretarias municipais irão analisar o Estudo de Viabilidade Urbanística do projeto de aeromóvel que ligará a Estação Aeroporto da Trensurb e o Salgado Filho, entregue ontem pela empresa. Somente com a concessão das licenças a obra poderá se iniciar.
O presidente da Trensurb, Marco Arildo Cunha, entregou o estudo ao secretário extraordinário da Copa de 2014, o vice-prefeito José Fortunati. O projeto já havia ganho notoriedade no ano passado, quando entrou em um pacote de sugestões levadas à Presidência da República para integrar o chamado Plano de Mobilidade Urbana a ser implantado até a Copa do Mundo em diferentes cidades.
aeromovel-aeroporto
Informações:  www.affonsoritter.com.br e ZH, 16/06/2009

AEROMÓVEL: Presidente da Trensurb estima para julho início das obras





Sistema de transporte está orçado em R$ 30 milhões
O presidente da Trensurb, Marco Anildo Cunha, explica que o atraso na construção do aeromóvel, que vai ligar a Estação Aeroporto, da Trensurb, ao terminal do Aeroporto Internacional Salgado Filho se deve a espera da contemplação da obra no PAC 2.
Cunha revela que aguarda somente este anúncio na área da mobilidade urbana e a liberação de recursos para que a obra, orçada em R$ 30 milhões, seja encaminhada e o processo de licitação iniciado. Ele acredita que em três meses todas as licitações estarão resolvidas, uma para a obra civil de engenharia e outra para os veículos. Marco Anildo Cunha garante que o aeromóvel estará pronto até a Copa de 2014.
Provável trajeto, segundo a Trensurb
Sobre o novo meio de transporte, Cunha diz que o aeromóvel deixará a cidade entre as mais modernas do mundo, facilitando a chegada ao aeroporto e fazendo com que seja mais turístico:
— Será uma obra bonita que poderá ser incorporada como cartão-postal de Porto Alegre — afirma.
Obras do aeromóvel iniciam em julho
ZH